Concurso Cagepa: Funape vai recorrer e promete resultado ainda hoje

A Fundação de Apoio à Pesquisa e à Extensão (Funape), empresa responsável pela realização das provas do concurso público da Cagepa irá entrar, nesta segunda-feira (03), com mandado de segurança na 5ª Região, contra a liminar expedida pelo juiz Francisco Guimarães, da 4ª vara da justiça federal que solicitou a suspensão do concurso. Conforme o secretário executivo da instituição, Ronaldo Euflasino, apesar da Funape ainda não ter recebido a notificação judicial dando conta da suspensão, a empresa se adiantará ao processo e entra ainda esta manhã com o mandado de segurança que servirá para que o juiz torne mais clara a decisão. “Não fica claro na decisão do juiz, se a suspensão é para todos, ou apenas para aquelas vagas em que foram detectadas falhas, e nós estamos nos adiantando no sentido de entendermos melhor esta decisão e adianto ainda que continuaremos seguindo o edital até que sejamos notificados”, disse. A Funape garantiu que o edital será cumprido, podendo ainda hoje o resultado do concurso ser divulgado. “Se nós recebermos a resposta do nosso mandado de segurança, nós iremos seguir o edital e iremos divulgar hoje o resultado do concurso sim”, enalteceu o secretário. Para a instituição, a maioria dos candidatos concluiu a prova em plena tranqüilidade, sendo desta forma injusto prejudicar mais de 70 mil candidatos inscritos que concluíram as provas dentro da normalidade.O Secretário ainda acrescentou que, no edital publicado, havia a informação de que, caso houvesse falhas, a organização do concurso teria pelo menos duas horas para normalizar a situação, e este prazo seria compensando acrescentando aos concorrentes. “Foi exatamente o que aconteceu, todas as falhas foram solucionadas antes mesmo do prazo estipulado pelo edital, ou seja, quem saiu e não fez a prova assinou a ata se responsabilizando porque estava saindo, já que, várias pessoas das mesmas salas continuarão e concluíram as provas”, lembrou. A decisão de entrar com mandado de segurança foi tomada em reunião realizada na última sexta-feira (31), com representantes da Funape, Coperve, Cagepa e UFPB. Na sentença, o juiz Francisco Guimarães alega que resolveu suspender o concurso por constatar “desorganização que comprometeu a lisura do processo”.

ClickPB

File Under: